Estou desempregado, e agora? 11 dicas para se recolocar no mercado

No atual momento em que o país se encontra, é inevitável que o risco de desemprego tire o sono de milhares de pessoas. Somente quem já acordou no meio da madrugada com a frase na cabeça “estou desempregado”, sabe o quanto esta situação é delicada. Por isso, é importante saber como lidar com a situação, para que você consiga se recolocar no mercado.

Pode ser que o primeiro impulso seja sair mandando seu currículo para todos os lugares que encontra.

Calma! Com certeza esse não é o melhor caminho.

Vamos pontuar algumas medidas que você deve tomar antes de buscar uma recolocação efetiva:

1. Não tire férias

Compreenda que esse período não pode ser considerado como se você estivesse de folga. Claro que você pode tirar uns dias para se desestressar caso a sua ultima experiência tenha sido muito difícil, porém a partir do momento que decidir buscar um novo emprego, faça disso o seu próprio emprego, ou seja, crie uma rotina organizada. Acorde cedo, faça atividades físicas, tenha um horário todos os dias para buscar emprego, etc. Estar em movimento lhe traz oportunidades.

2. Faça Networking

Fale para as pessoas o que está acontecendo com você e se for preciso peça ajuda.

Exatamente por este motivo enquanto estiver empregado, valorize sua imagem, faça o seu melhor, seja comprometido, educado e proativo. Se você foi um bom profissional, com toda certeza poderá pedir apoio dos seus ex-colegas de trabalho.

3. Mantenha-se atualizado

Aproveite que terá mais tempo hábil e tire um tempo do seu dia para se atualizar, ler livros, fazer cursos (mesmo que online e gratuito). Com a tecnologia existem inúmeras possibilidades com custos baixos.

4. Se organize

Sair mandando seu currículo para todos os lugares sem nenhum controle não é um caminho válido, sendo assim, elabore uma forma de controlar o trabalho, pode ser através de uma planilha de excel, uma ferramenta online ou até um caderno, aonde você colocará as oportunidades que se candidatou, as empresas que encaminhou seu cv e os logins e senhas de cadastro.

Desta forma, você não encaminhará o seu perfil para empresas de maneira repetitiva, criando uma imagem inconveniente e desorganizada.

5. Planeje suas despesas

Saiba quanto tempo você tem para manter suas despesas com seus atuais recursos. Se acreditar que é necessário esticar seus recursos, revise gastos, busque alternativas para eles e encare a possibilidade de outras fontes de renda durante o período em que estiver buscando um emprego, pois assim não precisará aceitar qualquer oportunidade apenas por desespero financeiro e logo trocar, dando a impressão de pular demais entre empregos (o que gera uma impressão de insegurança a quem recruta).

6. Cuide de sua saúde

 Saúde física e mental é indispensável para o processo. Fatores como o estresse, que podem atrapalhar seu desempenho no processo, podem ser combatidos com hábitos saudáveis, exercícios físicos e, por que não, respeito aos horários de lazer, assim como você respeita os horários de trabalho, e pode ter certeza, um bom trabalho de recrutamento conseguirá enxergar isso, o que pode lhe prejudicar.

7. Prepare um bom currículo

 O currículo continua sendo a mais importante peça de marketing para quem procura emprego.

Veja também: Como preparar um bom currículo

8. Cadastre seu currículo nos principais sites de emprego

A Internet é cada vez mais o local onde as empresas estão buscando candidatos na hora de contratar. Não deixe de colocar seu currículo nos principais sites de emprego.

9. Envie seu currículo para as empresas

Muitas empresas de seu interesse podem oferecer cadastro de currículos via web. Estas oferecem um espaço comumente chamado “Trabalhe Conosco”. Ali, você poderá enviar seu currículo eletronicamente. Caso a empresa não tenha este espaço em seu site, pode solicitar no local de contato a melhor forma de enviar seu perfil, seja pessoalmente em papel ou através de algum e-mail.

10. Candidate-se a vagas

 Além de ampliar suas chances de fazer entrevistas, seu contato contínuo com as vagas e oportunidades ajudam você a manter-se informado e em sintonia com os movimentos do mercado de trabalho. Retorne aos sites em que cadastrou seu currículo e candidate-se a vagas compatíveis com seu perfil, conhecimentos e habilidades.

11. Em época de crise, seja mais flexível ao negociar sua remuneração

Em momentos de crise, muitas vezes, mais vale um pássaro na mão do que dois voando. Em caso de longos períodos desempregado, seja flexível na hora da negociação. Caso a empresa ofereça remuneração abaixo da pretendida, avalie em quanto tempo ela pode oferecer crescimento para você, incluindo promoções e aumentos. Às vezes, pode valer a pena começar com um salário um pouco menor, mas com bons benefícios ou um bom plano de carreira definido dentro da empresa. Se não conseguir o salário desejado, tente compensar com bônus. É uma forma inteligente de conseguir novamente o antigo salário, comprometendo-se com sua performance. Em último caso, talvez seja sábio aceitar um salário menor e daí “voltar para a casa número 1”, ou seja, continuar sua busca pelo emprego e o salário que deseja, evitando ficar desempregado.

Por: Audrey Faria – Psicóloga, Coaching e Consultora de RH

Partes: CPT